Médica grávida de 8 meses morre de Covid em Barra do Garças; médicos fazem parto e salvam bebê

A cidade de Ribeirãozinho está luto pela morte de Cibele que atuava como médica no Rio Grande do Norte

Por Araguaia Notícia 06/04/2021 - 20:14 hs

Um fato muito triste abalou a cidade de Ribeirãozinho, a 110 km de Barra do Garças-MT, com a morte da médica Cibele Bento Rodrigues, de 38 anos, que ocorreu na terça-feira (6/4) no Pronto Socorro de Barra do Garças. Segundo informações, ela veio para Barra na segunda-feira consultar com um médico particular sobre a gravidez de 8 meses temendo que algo pudesse acontecer com o bebê. Ela já estava com alguns sintomas  

E na madrugada desta terça-feira, Cibele começou a passar mal com falta de ar e foi transferida para o Pronto Socorro. Os médicos colocaram ela na UTI e decidiram fazer um parto emergencial salvaram o filho, todavia ela não resistiu e faleceu.

Sobre esse assunto que abalou a cidade de Ribeirãozinho, a reportagem do site Araguaia Notícia conversou com o radialista Catulé News. Ele informou que a cidade está consternada com o fato.

“A Cibele é prima da minha esposa e tinha retornado recentemente a cidade após trabalhar pelo Programa Mais Médico em Porangatu-GO e Galinhos-RN. Só que na semana passada houve um surto na casa dela com sete pessoas pegando a covid, inclusive a irmã e os pais foram positivados ontem”, explica Catulé.

O tratamento da Cibele estava indo bem só que devido a gravidez e o fato de estar com covid ela decidir procurar atendimento na Barra.

Cibele é filha do ex-vereador José Rodrigues Neto e Claudeides Rodrigues. A morte da médica abalou a cidade e tem moradorados sem acreditar no que houve. Ela foi enterrada na tarde de terça-feira sem velório devido ao protocolo sanitário.

É mais uma vítima da Covid na região de Barra do Garças. Até aqui com a pandemia foram 101 óbitos de moradores da região e 191 de Barra do Garças totalizando 292 vítimas do coronavírus. A terça-feira teve 4 óbitos sendo duas vítimas de Barra do Garças e mais duas da região. Outro aspecto preocupante é que as UTIs pública e particular voltaram a ficar lotadas, são 22 pacientes e não tem vaga para uma nova emergência.

Com informações do Catulé News