Sindspen: Vacinar presos antes de policiais é inversão de valores

Policiais penais reivindica o direito de ser vacinada antes que os presos. Já que os servidores estão no cumprimento de seus deveres indo e vindo, enquanto os detentos estão em isolamento.

Por Reporter-MT 21/03/2021 - 02:44 hs

O Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso (Sindispen) tem criticado abertamente o Plano Nacional de Imunização (PNI), o qual coloca os presidiários como prioritários na lista de vacinação, antes mesmo que os policiais penais. Segundo a presidente em substituição do Sindispen, Jacira Maria da Costa, a situação é uma inversão de valores. 

“Nós somos contrários a essa situação desnecessária criada pelo ex-ministro, que trouxe revolta a todos policiais, em especial aos policiais penais, que se encontram na linha de frente no combate à covid-19. Os presos se encontram isolados e é o servidor que está exercendo o ir e vir até sua residência. No dia 17 de março, pedermos mais um policial penal para o coronavírus. Há uma total inversão de valores nessa prioridade”, critica.

Um documento foi encaminhado para a Secretaria de Estado e Segurança Pública (SESP), pedindo a prioridade para os servidores penitenciários. O pedido protocolado em janeiro, agora se encontrada para apreciação da Secretaria de Estado de Saúde (SES). 

“Esperamos que o novo ministro reformule essa relação de prioridade e reveja com um olhar técnico e real, quem está a linha de frente. Esperamos que caso não haja essa sensibilidade, que o secretário de Estado de Saúde nos atenda, assim como outros estados fizeram, ao discordarem dessa inversão de valores”, pontuou Jacira.