Corpo encontrado sem cabeça em rio de MT é reconhecido pela mãe

Lineker de Souza Corrêa, de 22 anos, estaria morando há cerca de um mês em Sinop. A cabeça não foi encontrada

Por Reporter-MT 29/09/2020 - 12:18 hs

A Polícia Civil identificou o corpo do jovem que foi encontrado decapitado na tarde desta segunda-feira (28), em Sinop (500 km ao norte de Cuiabá). Trata-se de Lineker de Souza Corrêa, de 22 anos. Ele foi encontrado por banhistas que foram até o rio dos Macacos.

O jovem foi reconhecido pela mãe, por conta de suas tatuagens. Ela foi até a polícia e ajudou na identificação. A mulher contou aos policias que eles estavam morando na cidade há um mês, vindos de São Paulo. A mulher afirmou que Lineker estava trabalhando e não tinha problemas com ninguém.

De acordo com informações da Perícia Oficial e Identificação (Politec), Lineker estava virado para baixo e com as mãos amarradas. A suspeita é de que ele tenha sido decapitado no local, já que poças de sangue foram vistas próximas ao rio.

A cabeça do jovem ainda não foi encontrada. O Corpo de Bombeiros fará buscas pela região do rio para tentar localizar.

A Polícia Civil investiga a motivação do crimeA Polícia Civil identificou o corpo do jovem que foi encontrado decapitado na tarde desta segunda-feira (28), em Sinop (500 km ao norte de Cuiabá). Trata-se de Lineker de Souza Corrêa, de 22 anos. Ele foi encontrado por banhistas que foram até o rio dos Macacos.

O jovem foi reconhecido pela mãe, por conta de suas tatuagens. Ela foi até a polícia e ajudou na identificação. A mulher contou aos policias que eles estavam morando na cidade há um mês, vindos de São Paulo. A mulher afirmou que Lineker estava trabalhando e não tinha problemas com ninguém.

De acordo com informações da Perícia Oficial e Identificação (Politec), Lineker estava virado para baixo e com as mãos amarradas. A suspeita é de que ele tenha sido decapitado no local, já que poças de sangue foram vistas próximas ao rio.

A cabeça do jovem ainda não foi encontrada. O Corpo de Bombeiros fará buscas pela região do rio para tentar localizar.

A Polícia Civil investiga a motivação do crime