Prefeito de Querência diz ser uma vergonha ter órgãos que travam o desenvolvimento no Araguaia

Por joão pedro donadel - semana7 05/08/2019 - 22:41 hs

Em entrevista concedida ao programa do portal Leia Agora, no último dia 31 de julho, o prefeito da cidade de Querência, Fernando Gorgen (PSB) fez uma avaliação de sua atual gestão na cidade, expôs um pouco sobre a história do município e fez declarações em repúdio a decisão do Ministério Público Federal (MPF), que requer o fechamento do traçado da BR-158 que corta a terra indígena Marãiwatsédé.

Em suas palavras, Gorgen diz ser uma vergonha existir órgãos dentro do próprio governo que impeçam, em suas palavras, o desenvolvimento do país. Em sua avaliação, um dos principais problemas da região da cidade de Querência e todo Araguaia é a logística, devido à problemas com suas estradas e ligações “o Araguaia tem um potencial muito maior, que por exemplo, o estado do Tocantins” destacou o prefeito.

O executivo, comentando ainda sobre a logística das estradas no Araguaia, frisou o fato de sua cidade estar a 1.100 km da capital Brasília, por ter que descer até Barra do Garças e aí ir para Brasília. Gorgen comenta sobre a possível ligação da região via BR-080, que é um sonho local, ou pela travessia da Ilha do Bananal, através da BR-242, onde seria diminuído essa distância para menos de 600 km.

Ainda sobre suas críticas sobre os órgãos que, em sua visão, impedem o desenvolvimento da região, o prefeito diz que apesar da justificativa ser em proteção ao meio ambiente, o MPF não está realmente preocupado com isso “se estivesse, autorizaria construções de pontes de concreto, melhorando a segurança de transporte de diesel e cargas perigosas, que caso ocorram acidentes, podem poluir os rios” completou.