Acusado de mandar matar pecuarista de Confresa é preso no Pará

Por Assessoria 10/06/2019 - 10:08 hs

Acusado de mandar matar pecuarista de Confresa é preso no Pará
Ilustração

Após 3 anos de investigação a Polícia Civil de Mato Grosso prendeu o principal acusado de mandar assassinar o pecuarista Almirante Fernandes Xavier, no município de Confresa (1.160 km a Nordeste), em 2017, e tentar duas vezes contra a vida de um empresário da cidade.

 O suspeito, Reginaldo José da Silva, foi preso na semana passada no município de Uruará, no Pará, em cumprimento de mandado de prisão expedido pela comarca de Porto Alegre do Norte (1.125 km a Nordeste). Além da prisão de Reginaldo José, o ex-cunhado Alcione Vieira Brito, 28 anos, apontado como autor dos crimes, foi preso na cidade de Confresa, há 20 dias.

O preso é ex-morador de Confresa e havia dias antes se desentendido com a vítima. Por conta disso, é Reginaldo é apontado como o mandante da morte do pecuarista Almirante Fernandes Xavier, após  emboscada quando chegava em sua propriedade rural, em Confresa. A vítima foi assassinada a tiros.

Além do homicídio de Almirante Xavier, Reginaldo também é acusado de dois atentados contra o empresário Liomar Severo Caixeta, morador de Confresa. As investigações desse crime apontaram para motivação passional. O acusado suspeitava de uma suposta traição de sua esposa com a vítima.

Reginaldo sabendo da suposta traição, contratou o então cunhado (Alcione Vieira Brito) para assassinar Caixeta, no dia 10 de dezembro de 2016.

A vítima sofreu o primeiro atentado em uma oficina mecânica no pátio do auto-posto bege. Almirante Xavier, que era amigo da vítima, passou a fazer uma investigação paralela para descobrir quem seria o mandante da tentativa de execução e acabou chegando até Reginaldo.

Segundo investigações da Polícia Civil, Almirante procurou Reginaldo para esclarecer os fatos e ambos entraram em atrito. A partir daí a morte do pecuarista foi arquitetada em vingança.

No dia 23 de março de 2017, o pecuarista Almirante Xavier foi morto a tiros. Um grupo de três pessoas esperava a vítima chegar em sua propriedade rural para executá-lo.

Após a morte de Almirante, o suspeito Reginaldo mudou de Confresa para o estado do Pará, mas mesmo assim ordenou um novo atentando contra Caixeta. A segunda tentativa de execução ocorreu no dia 12 de novembro de 2017, na chácara da vítima, quando dois homens em uma motocicleta chegaram ao local e fizeram diversos disparos contra o empresário que conseguiu fugir.

Pelos menos três pessoas foram identificadas como participantes e autores dos crimes. O grupo encarregado pelo homicídio e as tentativas são responsáveis por vários roubos na região de Confresa.

Os envolvidos foram encaminhados a Cadeia Pública de Porto Alegre do Norte onde aguardam sob o poder da justiça.