Em ato pelo Araguaia, presidente promete acabar com a indústria da multa

Por Jacques Gosch RDNews 05/06/2019 - 17:45 hs

O presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) prometeu acabar com a “indústria da multa” no Brasil, ao defender as mudanças no Código Brasileiro de Trânsito (CBT) que propôs pessoalmente ao Congresso nessa terça (4). A defesa das alterações na legislação foi feita durante o lançamento do programa “Juntos pelo Araguaia”, em Aragarças (GO), na presença do governador Mauro Mendes (DEM) e de diversas autoridades mato-grossenses, na manhã de hoje (5).

“Os brasileiros não mais terão aquela máxima de criar dificuldades para vender facilidades. Vamos atendê-los naquilo que vocês precisam, naquilo que vocês merecem. Até mesmo no dia de ontem, uma medida parecendo muito simples, mas de um profundo alcance. Fui na Câmara dos Deputados, falei com o presidente Rodrigo Maia, o nosso aliado, e apresentei um projeto para que a CNH passe a sua validade de cinco para 10 anos”, lembrou Bolsonaro durante o discurso sobre preservação da bacia do Rio Araguaia.

Segundo o presidente, a medida é necessária para que o caminhoneiro que transporta o que o Centro-Oeste produz não perca sua carteira de habilitação  com 20 pontos já que a pontuação vai dobrar para 40 pontos, caso o texto seja aprovado. “Por mim, eu botaria 60 pontos. Afinal de contas, a indústria da multa vai deixar de existir no Brasil como em Goiás começou com o Caiado acabando com os radares móveis nas rodovias. Acabei de acertar com o ministro da economia Paulo Guedes de mais 1000 servidores para fiscalização nas rodovias, mas a multagem eletrônica vai deixar de existir para o bem dos motoristas do nosso Brasil”, completou o presidente da República.