Pesquisa científica do IFMT Confresa será apresentada em evento internacional de Paris

Três das quatro membros do grupo devem embarcar para Paris no início do próximo mês

Por Olhar Alerta 04/06/2019 - 16:46 hs

Quatro alunas de licenciatura em química e física do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), unidade Confresa, desenvolvem uma pesquisa sobre nanotecnologia, mais especificamente nanomateriais e catálise. O projeto que discorrem faz parte da dissertação de mestrado de um professor em comum.

Lucineide Sales da Silva, Andrielle Nayara da Silva Costa, Danielle Silva Costa e Glauciene Sodré Fernandes tiveram a pesquisa intitulada Effect of Gold nanoparticles on nanocatalyst aprovada no evento internacional da área da ciência da IUPAC, o 50th General Assembly & 47th IUPAC World Chemistry Congress, o qual acontecerá de 5 a 12 de julho em Paris, na França.

Em entrevista à redação do site Olhar Alerta, Lucineide, estudante de licenciatura em física e uma das orientandas do projeto, disse que tem interesse em levar pesquisas após a graduação para se tornar mestre, doutora e outros: “o interesse é de construir um currículo, porque na hora da contratação o que conta são as pesquisas, as horas trabalhadas em sala, apresentações, e etc., e um congresso internacional irá aumentar muito as nossas chances de ingressar em um mestrado”.

Lucineide está ansiosa pelo evento, visto que ele será um acontecimento que reunirá pesquisadores de todo o mundo. Ela espera trocar experiências e conhecer a cultura de outras pessoas, além de aprimorar sua pesquisa.

O professor responsável pela pesquisa e que orienta as estudantes é Robes Alves da Silva, mestre em química inorgânica, nanomateriais e catálise. Em entrevista, ele afirmou que já tinha afinidade com a linha de análise desde que se graduou, e após auxílio do orientador do mestrado, decidiu por continuar a estudar o tema: “nessa área de nanotecnologia existem inúmeras possibilidades de novos materiais. O trabalho em questão, tratou sobre o efeito da luz sobre nanopartículas de ouro causando a quebra de compostos orgânicos contidos em água de esgoto de indústrias têxteis contendo resíduos coloridos. Após esse processo chamado de fotodegradação catalítica, os poluentes orgânicos foram completamente degradados à gás carbônico e água. Esse processo é muito promissor no que trata de preservação do meio ambiente”.

Robes se sente grato por ter uma pesquisa de sua autoria aceita em um congresso dessa magnitude: “diante de um cenário não tão animador de corte de verbas, é gratificante e incentiva a gente a continuar o trabalho”, finalizou.

Três das quatro membros do grupo devem embarcar para Paris no início do próximo mês. Elas irão apresentar a pesquisa e mostrar a relevância de seu desenvolvimento para o planeta.