Confresa: Estudante de 15 anos do IFMT morre com suspeita de dengue hemorrágica

Por Fabiana Mendes-Olhar Direto 11/05/2019 - 02:36 hs

A estudante do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Cailane Rodrigues Machado, 15 anos, morreu com suspeita de dengue hemorrágica, na última terça-feira (7), no Hospital Municipal de Confresa (a 1145 quilômetros de Cuiabá). Na última semana, três casos de dengue grave estão sendo investigados pela Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica. Em Mato Grosso, 27 municípios foram considerados em um nível de infestação como de risco para dengue, zika e chikungunya

De acordo com informações locais, na segunda-feira (6), ela teria dado entrada no Hospital Municipal de Confresa, com sintomas de dengue. Na ocasião, teria tomado soro, feito alguns exames e recebido alta médica. 

Entretanto, na manhã de terça-feira ela retornou à unidade médica, com um quadro de saúde agravado. Teve uma parada cardiorrespiratória, não resistiu e morreu com suspeita de dengue hemorrágica.

Cailane estava no 2º ano do curso de Técnico em Agropecuaria. O IFMT, por meio de nota, comunicou o falecimento da estudante e prestou solidariedade à família e amigos. Foi declarado luto oficial e foram suspensas as atividades na quarta-feira (8).

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), o caso está sendo investigado e a Vigilância em Saúde já está em contato com a Secretaria Municipal que investiga o óbito, para que sejam realizadas as orientações quanto ao manejo clinico adequado, condutas de classificação de risco e ações de prevenção e controle.
 
A Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica comunicou que foram notificadas três casos suspeitos de dengue grave sendo um no município de Primavera do Leste, um em Porto Alegre do Norte e um em Confresa, na última semana. 

Zona de risco
 
Em Mato Grosso, 27 municípios foram considerados em um nível de infestação como de risco para dengue, zika e chikungunya: Alto Paraguai, Araputanga Aripuanã, Barra do Bugres, Cáceres, Canarana, Cláudia, Cuiabá, Diamantino, Guiratinga, Ipiranga do Norte, Itanhangá, Marcelândia, Nobres, Nortelândia, Nossa Senhora do Livramento, Poxoréu, Querência, Rondolândia, Rosário Oeste, Santa Cruz do Xingu, Santo Antônio de Leverger, Sinop, Tabaporã, Tangará da Serra, Tapurah e Várzea Grande.
 
Segundo o governo, ao todo, 5.214 municípios realizaram algum tipo de levantamento que classifica o risco de aumento das doenças. De acordo com os dados, até o dia 13 de abril de 2019, foram registrados 451.685 casos prováveis de dengue no Brasil, um aumento de 339,9% em relação ao mesmo período do ano passado.