Donas de empresa suspeitas de enganar idosos sem estudo são investigadas

Por Vinícius Lemos/RD News 10/04/2019 - 21:06 hs

Donas de empresa suspeitas de enganar idosos sem estudo são investigadas
Empresárias Cleide Moraes e Claudineia Pereira são investigadas pelo crime de estelionato

As empresárias Cleice Moraes e Claudineia Pereira Santana, ambas de 35 anos, são investigadas por suspeita de estelionato contra aposentados e pensionistas, em Poxoréu (a 251 km de Cuiabá).  Na última segunda (8), elas foram alvos de ação da Polícia Civil.

Até o momento, conforme a PJC, 12 idosos relataram que tiveram empréstimos consignados contraídos por meio da empresa das mulheres, sem que usufruíssem dos valores ou tivessem dado permissão. Outras vítimas também procuraram a polícia, posteriormente.

Na segunda, a Polícia Civil cumpriu quatro mandados de busca e apreensão, um deles na Real Cred Soluções Financeiras, empresa das investigadas, e outros três em residências relacionadas às supostas fraudes.

As duas sócias passaram a usar tornozeleira eletrônica. Elas também passaram a cumprir medidas cautelares, como recolhimento domiciliar noturno, suspensão das atividades da empresa e foram proibidas de se aproximar ou entrar em contato com as vítimas.

Segundo a Polícia Civil, na casa de uma das suspeitas foi apreendido um revólver. Nos outros locais foram achados documentos, que serão utilizados nas apurações.

As ocorrências contra as mulheres foram registradas no ano passado e, neste ano, todas as vítimas informaram que tiveram os cadastros usados para empréstimos em folha realizadas pela empresa.

Conforme as apurações, os valores dos empréstimos variam de R$ 1 mil a R$ 14 mil. As vítimas são semi-analfabetas e relataram que foram procuradas pelas suspeitas para realizar cadastro para aprovação de empréstimos, caso necessitassem.

Alguns dos idosos disseram que fizeram empréstimo em folha, porém as parcelas eram acima do valor acordado. Em algumas situações, as vítimas afirmaram que pagaram os valores dos empréstimos, porém os débitos continuavam na folha.

Outro lado

Por meio de comunicado, publicado na página da empresa no Facebook, as suspeitas negaram que tenham cometido qualquer crime contra os idosos. As sócias afirmaram que a Real Cred possui “princípios como a honestidade, seriedade e confiabilidade” - leia ao lado.

Elas garantem desconhecer o motivo das denúncias . “Como qualquer outra empresa, passamos por altos e baixos, mas sempre demos nossa cara e fomos resolver todos problemas, como não será diferente desta vez”.

As sócias disseram que foram ouvidas pela Polícia Civil e liberadas . Elas asseguraram que irão provar que são inocentes. No comunicado, as mulheres classificam as acusações contra elas de “caluniosas e maldosas”.