Fui vítima de uma quadrilha que praticou extorsão contra minha campanha

Candidato ao Senado, Selma Arruda atacou opositores e ex-marqueteiro que moveu ação de cobrança

Por CAMILA RIBEIRO / Midia News 02/10/2018 - 09:45 hs

A candidata ao Senado Selma Arruda (PSL) afirmou ter sido vítima de uma tentativa de extorsão liderada por seu ex-marqueteiro Junior Brasa e pessoas ligadas ao também candidato ao Senado, Nilson Leitão (PSDB).

 

Entre elas, o advogado do tucano José Antônio Rosa, o jornalista Mauro Camargo, responsável pelo marketing de Leitão, e o empresário Alan Malouf, réu na Operação Rêmora.

 

“Fui vítima de uma quadrilha que praticou extorsão contra minha campanha. O Junior Brasa entrou com uma ação de cobrança R$ 1,2 milhão. Tenho um áudio dele dizendo que só queria R$ 360 mil. Isso é extorsão”, disse Selma, em coletiva de imprensa realizada na tarde desta segunda-feira (1º).

 

Ao longo da coletiva, a ex-juíza explicou os motivos que a levaram a crer que essas pessoas armaram contra sua candidatura.

 

“De início não percebi, mas aos poucos fui juntando uma coisa com outra. Houve uma reunião entre o marqueteiro do Nilson Leitão, o advogado dele, o Alan Malouf e o Júnior Brasa. Logo depois foi proposta uma ação monitória sem fundamento nenhum”, disse ela, ao referir-se à ação em que Brasa pede o pagamento de mais de R$ 1 milhão.

 

“Menos de 12 horas depois havia uma investigação judicial protocolada lá no Triibunal Regional Eleitoral. Ficou bem clara toda essa armação. Até então, quando o Brasa falava comigo, eu tinha impressão que ele queria cobrar mais que eu devia pagar (inclusive uma multa exorbitante). Depois é que percebi que se tratava de uma extorsão”, afirmou Selma.

 

A ação a qual ela se refere foi protocolada por um terceiro candidato ao Senado, o advogado Sebastião Carlos (Rede), e que é assinada por um advogado que, segundo Selma, integra a equipe de José Rosa (advogado de Leitão).

 

Segundo ela, Sebastião Carlos seria um “candidato laranja” supostamente utilizado pela candidatura de Leitão.

 

‘“É o tal candidato laranja. Você não pode atacar diretamente, consegue um que não tem chance de se eleger para figurar como o autor dessa representação. Fica clara a armação. Veja que o Júnior Brasa entrou com essa ação absurda às 17 horas de um dia. No outro dia, às 8 horas foi protocolada essa investigação pelo Sebastiao”, disse ela.

 

“Só se ele resolveu adivinhar ou se dormiu dentro do Fórum pra ter esse material produzido, deve ter passado a noite em claro fazendo”, ironizou a candidata, ao classificar a armação como “nojenta”.

 

Caixa 2

 

Na ação proposta por Brasa, o publicitário também acusa Selma de prática de caixa 2.

 

Para tanto, ele apresenta cheques emitidos nominalmente por Selma à sua empresa de publicidade, antes do período eleitoral.

 

“Primeiro que nem existe caixa 2 antes da campanha. E outra, caixa 2 com cheque nominal, compensado em nome da pessoa? Isso não existe, é uma falácia. Colocar essa insinuação (caixa 2) é criminoso. Vou pagar com cheque?”, questionou a candidata.

 


Ele explicou que os valores pagos a Brasa antes do período de pré-campanha são relativos a serviços pessoais contratados por ela.

 

 

“Contratei um serviço e paguei um serviço que contratei - não o valor que ele queria porque ele queria um preço absurdo. Os cheques são absolutamente lícitos, saíram da minha conta, o dinheiro é meu, faço o que quiser. Não existe caixa 2”, afirmou.

 

“Eu teria a oportunidade de ter me corrompido lá atrás, antes de mandar prender Silval Barbosa, José Riva. Teria ganho uma grana para fechar os olhos e fazer de conta que nada estava acontecendo. Se eu tivesse que me corromper teria feito lá. Agora, vim para acabar com esse tipo de esquema. Não estou de brincadeira”, disparou a candidata.

 

Por fim, questionada sobre uma participação de Leitão na suposta trama, ela respondeu: “Veja que uma pesquisa mostra Jaime Campos com 30%, Selma com 26%, Leitão com 21%. Comitê da maldade age nessa hora, para tentar descontruir a juíza Selma. Quem fez essa articulação pra me acusar de calote, de caixa 2, com certeza, existem indícios fortíssimos de que foi a equipe do Nilson Leitão”.