Em Cuiabá, Mendes tem 43%; Taques, 17%; e Wellington, 5%

Instituto Voice Pesquisas ouviu 600 eleitores na Capital, entre os últimos dias 27 e 29 de agosto

Por Douglas Trielli 06/09/2018 - 03:15 hs
Foto: Alair Ribeiro/Midianews
Em Cuiabá, Mendes tem 43%; Taques, 17%; e Wellington, 5%
Os candidatos Mauro Mendes, Pedro Taques e Wellington Fagundes, que disputam o Governo

O Voice Pesquisas fez um estudo sobre o cenário eleitoral para o Governo em Cuiabá, que concentra 440 mil eleitores, o maior colégio de Mato Grosso.


O candidato Mauro Mendes (DEM) lidera o quadro com 43% das intenções de voto na modalidade estimulada, em que o entrevistador apresenta ao eleitor a relação de todos os candidatos ao cargo.


Em seguida aparece o governador Pedro Taques (PSDB), com 17% das intenções. Ele é seguido pelo senador Wellington Fagundes (PR), com 5%; e por Arthur Nogueira (Rede), com 1%. O candidato Moisés Franz (Psol) não pontuou.


Os votos brancos e nulos somaram 13%; os indecisos, ou que não souberam responder, 21%.


A margem de erro do estudo é de 4%, para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%. O Voice Pesquisas ouviu 600 eleitores em de todas as regiões de Cuiabá, entre os últimos dias 27 e 29 de agosto. O levantamento foi contratado pelo próprio instituto e está registrado no TRE-MT sob o nº MT - 02128/2018.

 

Voto espontâneo

 

O instituto também realizou a modalidade espontânea, quando o pesquisador apenas pergunta em quem o eleitor irá votar para o Governo, sem apresentar uma relação de nomes.


O resultado foi o seguinte: Mendes com 16%; Taques aparece com 6%; Wellington e Moisés Franz  com 2%. Outros nomes apareceram com menos de 1%.


Nessa modalidade, os votos em branco e nulo somaram 8%; e os indecisos, ou que não souberam responder, 66%.

 

Expectativa de vitória

 

Os pesquisadores do Voice perguntaram aos eleitores sobre quem eles acreditam que irá vencer as eleições ao Palácio Paiaguás neste ano.


Os resultados foram os seguintes: Mendes obteve 45%; Taques, 17%; Wellington, 2%; e Arthur Nogueira, 1%.


Um total de 34% não soube responder; e 1% não respondeu.