Desnível da pista da BR-158 com o acostamento assusta

Desnível da pista da BR-158 com o acostamento assusta

Diferença de até meio metro entre o acostamento e a pista ocasionam risco ao tráfego na rodovia

Por Interativa FM com Redação 06/08/2018 - 23:23 hs

Motoristas que transitam pela BR-158, na região do Araguaia, estão reclamando que o acostamento da rodovia está desaparecendo. Desde a sua construção, na década de 90, o acostamento foi sumindo por causa da erosão e do intenso movimento.


O problema fica mais acentuado no trecho de 140 km, entre Nova Xavantina e Canarana. Se algum veículo sofrer problema mecânico na pista de rolamentos, fica difícil manobrar para o acostamento devido ao desnível do terreno.


Nos recapeamentos feitos nos últimos 14 anos somente a pista de rolamentos recebeu pavimento asfáltico, o que aumentou o desnível. A reportagem visitou alguns trechos da rodovia ligando Água Boa a Canarana, 53 km, na tarde desta quarta-feira (1).


A realidade é assustadora e as tragédias no trânsito só não são maiores devido ao movimento inferior da BR-158 se comprado com as demais rodovias federais em Mato Grosso. Em alguns pontos específicos, o desnível da pista de rolamentos com o acostamento é de cerca de 30 centímetros na saída do pavimento.


Porém, se for tomada a medida de todo o acostamento que em muitos pontos nem existe mais, a diferença pode passar de meio metro. Uma diferença de 30 centímetros no solo, para quem precisa efetuar uma rápida manobra, pode acabar em grave acidente.


A reportagem já constatou a reclamação de vários motoristas de que alguns acidentes aconteceram somente por falta de acostamento na BR-158. Como o período de chuvas se aproxima e mais um ano está passando sem qualquer melhoria, a tendência é de que a situação piore para 2019.


Ao Interativa FM, o superintendente de Mato Grosso do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), Orlando Fanaia Machado, disse que enviará uma nota sobre o assunto.