Liminar barra desativação de termelétrica Araguaia, em Querência

Liminar barra desativação de termelétrica Araguaia, em Querência

Segundo a decisão, 34 municípios da região podem ser prejudicados com o desligamento da unidade.

Por Semana 7/Kayc Alves 20/07/2018 - 19:40 hs

O juiz Thalles Nóbrega concedeu liminar para que a Usina Termelétrica (UTE) Araguaia, de Querência, não fosse desativada, como recomendou o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). A decisão foi emitida na terça-feira (17), sob a argumentação de que os 34 municípios da região seriam prejudicados com o desligamento da unidade.

A UTE foi instalada com o objetivo de atender o Araguaia temporariamente, até que a instalação da linha de transmissão Paranatinga/Canarana, que deverá abastecer a região, fosse concluída. Em virtude do início da operação da linha, a CMSE recomentou que se desativasse a UTE, administrada pela empresa Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte).

Mas a Associação dos Municípios do Araguaia (AMA) entrou com uma ação civil pública para impedir o desligamento. Segundo a entidade, a desativação não pode ocorrer até que o sistema da linha Paranatinga/Canarana ultrapasse todas as fases de teste.

O juiz concedeu a liminar por entender que o ato de desligamento geraria instabilidade na energia, causando transtornos a setores básicos na região. “Caso a UTE Araguaia não se mantenha ativada e apta a garantir a continuidade do fornecimento de energia elétrica, os prejuízos à população, aos serviços essenciais, à indústria, ao comércio, à agricultura e a região serão imediatos e de incalculável monta social e financeira”, escreve Thalles Nóbrega.

A decisão também destaca que um estudo do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) mostra a necessidade da permanência da UTE Araguaia, mesmo após o ligamento definitivo da linha Paranatinga/Canarana. A disposição da usina serviria para eventuais necessidades e “garantia do pleno oferecimento de energia elétrica à região do Baixo Araguaia.

A reportagem entrou em contato com o prefeito de Querência, Fernando Gorgen (PSB), que disse já estar ciente da situação. Segundo ele, se o desligamento acontecer, todo o norte Araguaia poderá ficar sem energia.

O Semana7 também falou com o deputado estadual Baiano Filho (PSDB), um dos articuladores da UTE Araguaia, como alternativa para a energia da região. O parlamentar informou que está acompanhando a situação.

Até o fechamento da matéria, a Energisa não retornou o contato da reportagem para comentar o caso e descrever o estado da linha Paranatinga/Canarana.