Ager notifica concessionária Águas de Barra do Garças

Depois de racionamento de água involuntário, agência cobra solução imediata para retornar abastecimento

Por Semana 7 04/07/2018 - 15:19 hs

A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Município de Barra do Garças (Ager) notificou hoje (4) a empresa concessionária Águas de Barra do Garças para o restabelecimento imediato do abastecimento de água em toda a cidade que sofre involuntário racionamento desde domingo (1). A agência promete instaurar processo administrativo caso medida não seja cumprida, de acordo com a lei 195 de 10 de agosto de 2016. A denúncia foi feita através de sua Ouvidoria.

 

Na notificação, a Ager reforça que o serviço de fornecimento de água deve ser de forma contínua, sem interrupções decorrentes de deficiência nos sistemas ou capacidade inadequada, garantindo sua disponibilidade durante as 24 horas do dia aos seus usuários.

 

Por sua vez a empresa Águas de Barra do Garças emitiu uma nota de esclarecimento alegando que “problemas operacionais no sistema de captação de água exigiram a mobilização emergencial das equipes de manutenção. Após as manutenções, que foram concluídas na segunda-feira (2), a concessionária realizou diversas manobras na rede de distribuição de água e se dedicou a abastecer os bairros de forma setorizada para restabelecer o abastecimento”.

 

Destacou ainda que “concentrou todos os esforços para regularizar a distribuição de água na cidade, mas regiões mais altas precisam de tempo para que a pressão da água seja normalizada” e que está “à disposição de toda a população”, enquanto mantém uma equipe em campo “para atender pontualmente as reclamações dos consumidores e solucionar demandas”. Informações pelo telefone 0800 647 6060 para ligações de telefones fixos e pelo 4020 1038 por celulares.


MINISTÉRIO PÚBLICO


Na semana passada, 28, a Justiça acolheu o pedido de liminar do Ministério Público e determinou que a concessionária que promova a partir desse mês a redução do valor da Tarifa Referencial de Esgoto que atualmente é de 80% (em relação à Tarifa de Água) para 60%, que havia sido aprovada pela Câmara de Vereadores, sob o comando de Miguel Moreira (Miguelão) e seus companheiros que se encontram em merecido gozo de férias.

Na ação proposta contra a empresa o Ministério Público apontou irregularidade da concessionária de cunho administrativo e ambiental, a exemplo do tratamento inadequado de efluentes (resíduos de redes pluviais) que por sua vez repercutem na esfera de consumo. O Ministério Público argumenta ainda que a população de Barra do Garças vem pagando por um serviço cuja prestação “é deficiente”.