Avião de pequeno porte faz pouso forçado em rio do Pará; piloto diz à polícia que matou homem em voo após testemunhar assassinato

Suspeita é que avião levaria drogas para o Amazonas. Piloto relatou briga e troca de tiros entre passageiros. Polícia apura se história é verdadeira. Inspeção de manutenção, de acordo com a ANAC, estava vencido desde maio deste ano

Por G1 PA, Belém 01/07/2018 - 22:41 hs

Avião de pequeno porte faz pouso forçado em rio do Pará; piloto diz à polícia que matou homem em voo após testemunhar assassinato
Avião pousou em rio de área de garimpo, no distrito de Crepurizão Foto: Reprodução/TV Liberal
Um piloto disse à Polícia Civil do Pará ter pousado um avião de pequeno porte em um rio depois de testemunhar um assassinato a bordo -- e de ter ele próprio matado o assassino. A polícia apura se a história é verdadeira.
 
A aeronave, de prefixo PT-IIU, saiu de Guarantã do Norte, no Mato Grosso, com destino ao Apuí, no Amazonas. Em nota, a Polícia Civil disse que informações preliminares da Polícia Militar apontam que o avião buscaria drogas. O homem, identificado como Sergio Vanderlei Becker, foi preso, acusado de porte ilegal de armas e de munição. Ele não foi acusado de homicídio porque os corpos ainda não foram encontrados.
 
O pouso se deu no rio Jamanxim, em Itaituba, no sudoeste do Pará, por volta das 17h de quinta-feira (28).
 
Em depoimento na delegacia de Itaituba, o piloto afirmou que estava com dois passageiros a bordo -- e estes começaram a discutir, de acordo com o escrivão Paulo Farias. Um dos passageiros, então, matou o outro a tiros, ainda segundo o depoimento do piloto.
 
Na sequência, relatou o piloto à polícia, o atirador tentou jogar o corpo da vítima pela porta do avião em voo. O piloto reagiu, conseguiu desarmar o assassino e atirou no criminoso, que morreu.
 
O piloto disse à polícia, de acordo com o escrivão, que matou o homem por medo de ser morto. Em seguida, pousou no distrito de Crepurizão, em uma área de garimpo.
 
O prefixo do avião não estava aparente, razão pela qual não foi possível, até a publicação desta reportagem, checar a situação da aeronave na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
 
A aeronave tinha vestígios de sangue e pedaços do que a polícia suspeita ser massa encefálica; o material foi enviado ao Instituto Médico Legal (IML) para testes de DNA. Também havia munição a bordo, mas não foi encontrada nenhuma arma até o momento.
 
Avião estava com inspeção vencida
 
De acordo com o controle de Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), disponível no site da ANAC, a aeronave de prefixo PT-IIU, está com a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) vendida desde o dia 30 de maio de 2018. O avião Piper Aircraft, fabricado em 1972, consta como de propriedade de Marcelo Oliveira Silva.
 

Inspeção do avião está vencida desde o dia 30 de maio de 2018 (Foto: Reprodução/ Anac)

Inspeção do avião está vencida desde o dia 30 de maio de 2018 (Foto: Reprodução/ Anac) 
 
Região é conhecida por ocorrências aéreas
 
Outros incidentes envolvendo aeronaves já foram registrados nos últimos meses no mesmo local onde ocorreu o pouso forçado do avião esta semana. Em fevereiro deste ano, um avião caiu no Crepurizão e explodiu. Três pessoas morreram. Em outubro de 2017, um avião monomotor com duas pessoas caiu na região de garimpo matando o piloto. O passageiro foi resgatado com vida e levado ao hospital.
 
Também no mês de outubro do ano passado, mas no município de Itaituba, um avião monomotor caiu na região urbana da cidade e matou cinco pessoas. Outros incidentes envolvendo aeronaves já foram registrados nos últimos meses no mesmo local onde ocorreu o pouso forçado do avião esta semana.
Em fevereiro deste ano, um avião caiu no Crepurizão e explodiu. Três pessoas morreram. Em outubro de 2017, um avião monomotor com duas pessoas caiu na região de garimpo matando o piloto. O passageiro foi resgatado com vida e levado ao hospital. Também no mês de outubro do ano passado, mas no município de Itaituba, um avião monomotor caiu na região urbana da cidade e matou cinco pessoas
 
Veja a nota da Polícia Civil do Pará
 
ITAITUBA - Possíveis Homicídios em aeronave - Apresentação pela PM de um piloto de um avião que fez um pouso forçado no Rio Jamanxim, às proximidades do Distrito de Jardim do Ouro, região garimpeira de Itaituba.
Segundo informações a aeronave fez o pouso forçado, no Rio Jamanxim, município de Itaituba, sudoeste do estado.Levantamentos preliminares da PM de Moraes e de Jardim do Ouro, dão conta que o avião saiu de Guarantã Mato Grosso com destino ao Apuí no Amazonas para buscar droga.
No avião estariam três pessoas, o piloto e dois passageiros, que teriam tido uma intensa discussão, um deles que estava de posse de uma arma atirou em outro, após o disparo o mesmo abriu a porta do avião para jogar o corpo em voo, foi quando o piloto pegou a arma e também atirou no outro passageiro, momento em que perdeu o controle do avião, e foi obrigado a pousar na água, pela versão inicial do piloto.
Policiais Militares da região foram acionados e foram ao local, e prenderam o piloto e conduziram o mesmo para Itaituba, onde foi apresentado na 19ª Seccional Urbana de Policia Civil.O piloto foi ouvido e autuado por porte ilegal de munição, pois não houve certeza de que essa história das mortes é verídica, tendo em vista que não foi localizado qualquer corpo até o momento, existindo apenas vestígios de sangue na aeronave, porém, não se sabe de quem. Nem arma de fogo foi localizada também, apenas munição.