Querência – Mulher mata marido a golpes de facão e se entrega a polícia

Querência – Mulher mata marido a golpes de facão e se entrega a polícia

Por Clodoeste Pereira \\\'Kassu\\\'AguaBoaNews 03/06/2018 - 16:02 hs

Querência – Mulher mata marido a golpes de facão e se entrega a polícia
Foto: AguaBoaNews

Após uma briga Adenizi Margareti Tavares Rosa matou o seu marido Aparecido Rosa com dois golpes de facão no pescoço  após ser ameaçada por ele.

O crime aconteceu neste sábado 02 de junho em uma fazenda no interior do município de Querência. Após o crime a homicida seguiu para a cidade e se entregou a polícia militar.

Adenizi  relatou a polícia militar que estava com seu filho e seu conjugue Aparecido Rosa, na cidade, e que convidou o seu filho para ir a sua casa na fazenda e que o seu conjugue estava com muito ciúmes do seu filho e durante a ida para fazenda ela sofria diversas ameaças de morte e palavras de baixo calão.

Chegando à fazenda em sua residência, a vítima pegou uma faca de mesa e começou a ameaça-la e a chamando de vagabunda que iria mata-la, dizendo para que ela falasse a verdade se ela estava tendo um caso amoroso com seu filho ele estava nervoso e apontando a faca para ela.

 Logo em seguida o mesmo entrou no quarto e deitou na cama, momento que a senhora Adenizi em posse de fação desferiu dois golpes em seu pescoço, e logo em seguida a mesma verificou o corpo, vendo que tinha tirado a vida dele.

Adenizi ainda informou que há vários anos vem sofrendo ameaças psicológicas e físicas, que seu conjugue era muito ciumento, que em 2016 a mesma sofreu ameaça física que a derrubou e deu vários chute e socos, que não chegou a registrar boletim de ocorrência com medo.

Há informações preliminares que a vitima estava dormindo no momento do delito e que sofreu três golpes de fação do lado direito do rosto, sendo que um dos golpes pegou em seu ombro.

Foi dada voz de prisão a suspeita e encaminhada sem lesão corporal à delegacia da policia judiciaria civil de Querência para as demais providencias que o caso requer.

A Politec de Água Boa foi acionada pela polícia civil e realizou a perícia.