População de Confresa adere a protestos e apoia caminhoneiros

A Avenida Centro Oeste foi tomada nesta sexta-feira (25) pelos moradores “Não somos caminhoneiros, somos pais de famílias. Precisamos protestar por um Brasil melhor, um país justo, pela nossa família, nossos filhos, pra nós” gritou um pai de família nos microfone que estava a disposição da

Por Folha de Confresa 26/05/2018 - 15:54 hs
Foto: Reprodução

Os moradores de Confresa Mato Grosso, aderiram ao protesto que começou com os caminhoneiros em todo o Brasil. Ao longo dessa semana, moradores sentem as consequências da ausência de resposta à paralisação e decidiram ir para a rua. Nas redes sociais, muitos comentários são de apoio aos caminhoneiros.

A Avenida Centro Oeste foi tomada nesta sexta-feira (25) pelos moradores  “Não somos caminhoneiros, somos pais de famílias. Precisamos protestar por um Brasil melhor, um país justo, pela nossa família, nossos filhos, pra nós” gritou um pai de família nos microfone que estava a disposição da população..

A maiorida dos leitores do Jornal Folha do Araguaia também se manifestaram a favor da greve. Muitos dedicaram mensagens de forças aos caminhoneiros. “Parabéns! Força! O Brasil está com vocês guerreiros! Já não basta ficar longe da família, sofrerem violência e roubo de cargas,comerem e dormirem mal e ainda ter que pagar esse preço do diesel que consome mais de 40 por cento da renda do caminhoneiro”, afirmou Bira Capuzzo presidente do Sindicato Rural de Confresa.

“Os caminhoneiros tem que continuar com a paralisação, estamos apoiando eles”. O presidente Michel Temer não pode penalizar a população dessa forma, ele é o grande responsável pelo pais estar passando por tamanhas dificuldades e juntos somos mais fortes! Precisamos com urgência de um país melhor, mais justo e principalmente com mais caráter e honestidade”. Afirmou o empresário e presidente a ASCEC Jean Carlos”.

“Os poderes têm que proibir os desvios de dinheiro público e punir os culpados, não os trabalhadores que estão protestando para poder pagar os seus compromissos”, disse a empresária Maribel Languidey.

 

Outros leitores incentivaram que as mobilizações deveriam chegar a outros setores da população, não apenas aos caminhoneiros. “Não só caminhão devia parar, tem que todo mundo parar moto, carro e ônibus. Não abastecer ninguém e hoje damos um grande passo democratico com esses manifestos”, escreveu Willian Romes.

“Tem que parar todos os trabalhadores do Brasil, mas não só pelo combustível, e sim por todos os outros problemas que enfrentamos”, disse uma empresária que não quis dar o seu nome. Muitos aproveitaram para criticar duramente os postos que estiveram cobrando preços além da conta: “Esses postos que estão aumentando descaradamente deveriam ser autuados. Com relação aos caminhoneiros, estão certíssimo. O Brasil precisa parar”, afirmou.