Avião levando bebê com sopro no coração para Rondonópolis e Canarana se mobiliza para ajudar família

Avião levando bebê com sopro no coração para Rondonópolis e Canarana se mobiliza para ajudar família

Por Araguaia Notícia 08/05/2018 - 19:33 hs

Esse vídeo mostrar o momento em que um avião saiu de Água Boa para Rondonópolis levando o recém-nascido João Gabriel Tauffer Silva que foi transferido na tarde de segunda-feira (7) para uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital Santa Casa de Rondonópolis, onde será avaliado por um cardiologista que constatará a necessidade e urgência de se fazer uma cirurgia cardíaca. Ele estava internado no hospital regional de Água Boa, desde sexta-feira (4), onde respirava com ajuda de um balão de oxigênio.

A transferência do bebê somente foi possível após intervenção da justiça e teve o apoio do deputado estadual Baiano Filho na organização do transporte. Na cidade de Canarana está sendo realizado um torneio de futebol para ajudar a família de João Gabriel nas despesas que terá em Rondonópolis ou Cuiabá para onde o bebê pode ser removido caso haja necessidade de uma cirurgia emergencial.

Quem quiser ajudar a família pode depositar qualquer quantia na conta da mãe de João Gabriel, Cândida Tauffer Marques N. Conta da Caixa Econômica Federal agencia 4327 operação 013 conta 3052-0.
Veja o vídeo com avião levando João Gabriel para Rondonópolis.
 
Mais informações sobre o bebê

Matéria da Assessoria / Defensoria Pública 

A necessidade de uma UTI foi indicada pelos médicos, mas o hospital não conta com a estrutura e a Central de Regulação do Estado não conseguiu a vaga três dias depois da internação do bebê. Diante da situação, a família de João entrou em contato com a Defensoria Pública de Mato Grosso, que via defensora Gisele Chimatti Berna, conseguiu liminar da Justiça, na manhã de domingo (6/5), obrigando o Estado a solucionar o problema em 24h.

A liminar foi concedida pela juíza que estava no plantão, Luciene Roos, e será cumprida no início desta tarde, segundo informações da defensora. “Em Rondonópolis o bebê terá condições de ser avaliado por uma equipe médica capacitada.

É o que esperamos, porque aqui, até onde sei, o hospital não conta com pediatra em seus quadros. Os médicos aqui fazem milagre com a estrutura que têm. Em Água Boa a criança sofria risco de ter parada cardíaca, além de outras complicações, e vir a óbito a qualquer momento, já que não tinha estrutura e nem tratamento adequados”, explica.