Cadeia de Porto Alegre do Norte terá sala de capacitação

Cadeia de Porto Alegre do Norte terá sala de capacitação

Por Olhar21 12/04/2018 - 12:41 hs

A cadeia pública de Porto Alegre do Norte irá contar com uma sala de capacitação, este espaço será usado pelos detentos que receberão cursos e treinamentos. Com capacidade para 20 reeducandos, a obra é resultado de uma parceria entre a unidade prisional, Conselho da Comunidade, Ministério Público e Poder Judiciário local.

O novo espaço foi uma ideia do diretor da cadeia, Gederson Luz dos Santos que começou em parceria com a Promotora de Justiça da época, Rebeca Santana Rego e que teve continuidade com sua substituta no MP municipal a corregedora Graziella Salina Ferrari, vale destacar também a participação do Juiz Marcos André da Silva representando o TJMT e a presidente do Conselho da Comunidade e Vice-prefeita Terezinha Leão.

O valor estimado da obra é de R$ 40 mil. O recurso, oriundo de transação penal, foi repassado pelo Poder Judiciário e Ministério Público para o Conselho da Comunidade que adquiriu os materiais para construção. Em contrapartida, a unidade designou seis internos para edificação da sala. O espaço tem um total de 109 m² e ficará pronto até o final deste mês.

O diretor da cadeia de Porto Alegre do Norte, Gederson Luz afirma que os recuperandos estão animados com a possibilidade de se qualificarem. “Nosso objetivo é ofertar cursos de qualificação aos reeducandos em um espaço adequado incentivando-os a findar o círculo vicioso da criminalidade”, conta Gederson, acrescentando que já estão previstos para ainda este semestre cursos de alvenaria e corte e costura. “Estamos buscando parcerias com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação – e outras entidades ou pessoas interessadas”, informa.

A cadeia de Porto Alegre do Norte tem ganhado destaque na região e estado pela organização e competência em sua gestão, Com capacidade para 40 presos a unidade tem hoje 70, apesar da superlotação e do efetivo de apenas 14 agentes “a casa está em ordem” como constatou o Grupo Regional Araguaia II, grupo este responsável por fiscalizar e revistar os presídios da região; O grupo já fez três inspeções na unidade e não encontrou nenhum tipo de entorpecente, material cortante ou celular.

 

Depois da última revista surpresa a equipe do Grupo Regional Araguaia II parabenizou a direção da cadeia e os funcionários que compõe o quadro da unidades pelo ótimo trabalho que vem sendo realizado, mesmo com todas as dificuldades operacionais, sendo que os mesmos mantém a ordem e os recuperando obedecem todos os procedimentos de rotina realizados na unidade.