Visita de Pedro Taques ao Araguaia divide opinião da população local

Por AMZ Noticias com Evandro Carlos 03/05/2018 - 16:42 hs

A visita do governador Pedro Taques a região do Norte Araguaia, neste final de semana esta dividindo a opinião publica dos municípios envolvido na agenda oficial, e gerado uma serie de questionamentos na região.

Entre a série de perguntas, duas tem chamado à atenção, a primeira é porque o governador não encaixou sua visita à região uma semana depois, quando 03 dos principais municípios fazem aniversario e estão com uma série de eventos a serem realizados, é bom lembrar que no dia 13 de maio, fazem aniversario as cidades de Vila Rica, a mais forte economia regional, São Felix do Araguaia a mais tradicional cidade do Norte Araguaia e Porto Alegre do Norte a terceira mais importante cidade da região.

Alem destes aniversários, no dia 10 de maio em Vila Rica, inúmeras autoridades nacionais estarão debatendo em um fórum, a realidade do corredor Centro Norte de Logística, importante projeto para o desenvolvimento de Mato Grosso, mas o governador não vai estar no evento.

Outro grande debate sobre a visita de Taques é o setor da saúde, em Porto alegre do Norte, parte dos populares se sente iludida com a não construção do hospital regional do Norte Araguaia que sequer saiu do papel, em Confresa o maior município da região, o prefeito Ronio Condão, aliado de Taques enfrenta uma crise política na saúde, devido aos repasses atrasados pelo estado que tem obrigado o prefeito a fazer milagres para manter o hospital local que atende toda região.

No meio disso tudo, o debate ficou mais acirrado depois que veio a tona a intenção do governo estadual firmar parceria com a cidade de Vilas Rica, para usar a estrutura do hospital municipal local, numa nova parceria e causando mais indignação aos iludidos e aos atrasados.

Segundo a assessoria do governo, o ponto forte da visita de Taques a região será a entrega dos cartões do Pró Família, programa semelhante ao programa federal Bolsa Família e que já foi criticado por membros do atual governo estadual que faziam uma alusão ao mesmo como “Bolsa Esmola”