Presidenciável visita aldeias na região e relembra dívida do país com a população indígena

Pré-candidato do PDT Ciro Gomes visitou busto do ex-presidente Getúlio Vargas em frente ao aeroporto

Por RD News 19/04/2018 - 15:28 hs

Presidenciável visita aldeias na região e relembra dívida do país com a população indígena
Foto: Ronan de Sá

O pré-candidato do PDT à presidência da República, Ciro Gomes, lembrou nesta quinta (19), Dia Nacional do Índio, que o Brasil está em dívida com as comunidades indígenas. O ex-ministro desembarcou nesta manhã, em Aragarças (GO), de onde seguiu para a Terra Indígena São Marcos, em Barra do Garças.

 Acompanhado pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e pela deputada federal por Goiás, Flávia Moraes, o presidenciável enfatizou que o país precisa lembrar permanentemente dessa dívida com os povos indígenas. "Se este país quiser, como nós temos que ajudar a querer, superar as desigualdades, a injustiça e a miséria", disse, se referindo a situação dos índios no Brasil.

Eu quis fazer esse sinal de respeito ao passar o dia com eles na comunidade, discutir, ouvir e aprender para que a gente atualize a nossa compreensão do que possamos fazer por eles

Ciro Gomes lembrou que a sua presença em Barra do Garças neste Dia Nacional do Índio tinha um propósito. "Nós devemos aos indígenas valores muito importantes, da formação da nacionalidade brasileira e nesse dia eu quis fazer esse sinal de respeito ao passar o dia com eles na comunidade, discutir, ouvir e aprender para que a gente atualize a nossa compreensão do que possamos fazer por eles."

Na Terra Indígena, Ciro Gomes participa das comemorações do Dia Nacional do Índio e visita o túmulo do ex-deputado federal Mário Juruna (falecido), o primeiro e único indígena a ser eleito para o Congresso Nacional pelo PDT em 1982. O retorno do presidenciável está previsto para o final da tarde, quando embarca de volta para Brasília.

Getúlio Vargas

Antes de seguir para as aldeias, Ciro Gomes fez questão de visitar um busto do ex-presidente Getúlio Vargas em frente ao aeroporto da cidade goiana, palco do primeiro sequestro de avião registrado no país, que ficou conhecido à época como "Revolução do Major Veloso", ocorrida em dezembro de 1959.