Taques: “Apesar de vídeos, deputados têm direito à ampla defesa”

Governador defende que todos sejam investigados;

Por Camila Ribeiro -Mídia News 30/08/2017 - 23:32 hs
Foto: Alair Ribeiro/MidiaNews

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou nesta quarta-feira (30) que os deputados flagrados recebendo dinheiro de suposto “mensalinho” no Palácio Paiaguás não podem ser “condenados” antes de se explicar.

Os vídeos com os flagrantes constam na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), cujo conteúdo já foi homologado pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Nas imagens, parlamentares aparecem recebendo quantias em dinheiro das mãos do então chefe de gabinete de Silval, Silvio Araújo. Segundo o ex-governador, os valores serviam para comprar o apoio dos parlamentares à sua gestão.

 “Mesmo os deputados que aparecem no vídeo têm direito ao contraditório e à ampla defesa. Tem que ser investigado, não posso condenar ninguém, não sou juiz. Não posso condenar ninguém sem o devido processo legal”, disse Taques, durante evento pela manhã.

“No Brasil, não é possível aplicar pena mesmo com vídeo. Tem que ouvir, tem que ter denúncia, tem que ter processo. Por isso vivemos em uma democracia”, afirmou o governador.

Ele disse ainda que defende investigação contra todos os deputados citados pelo ex-governador.

Porém, afirmou que é preciso ter cautela com informações citadas na delação premiada, especialmente em relação àquelas que não estejam amparadas por provas.

“Defendo toda investigação. Ninguém esta acima da lei. Toda investigação deve ser feita. Agora, temos que entender o seguinte: a delação é o melhor instrumento de investigação, mas precisa ser provado. O cara, quando, está preso pode falar coisas”, disse.

Questionado se teria ficado impressionado com o fato de deputados que se diziam oposição a Silval também terem recebido dinheiro, como a ex-deputada Luciane Bezerra (PSB), o governador afirmou: “Não me surpreendo mais com nada. Já vi até boi voar”.

 

Os vídeos

Os flagrantes foram feitos no gabinete de Sílvio Araújo, que instalou uma câmera escondida.

 Foram filmados os seguintes deputados da legislatura passada: Luciane Bezerra (PSB), Hermínio Barreto (PR), José Domingos Fraga (PSD), Antonio Azambuja (PP), Airton Rondina (PSD), Ezequiel Fonseca (PP), Emanuel Pinheiro (PMDB), Luiz Marinho (PTB) e Alexandre César (PT).

 Também foram filmados na mesma sala Gilmar Fabris (PSD) e Baiano Filho (PSDB), porém não há imagens deles pegando dinheiro.