Deputado da região do Araguaia chantageou colegas, diz delação

Tal reunião foi gravada pelo deputado Adalto de Freitas, vulgo Daltinho, que passou a chantagear os deputados estaduais da época, usando tal gravação para manter-se no mandato, pois ele era suplente na época

Por Com informações do Mídia News 28/08/2017 - 10:33 hs

O deputado estadual Adalto de Freitas (SD), o “Daltinho”, é acusado de ter gravado uma reunião em que parlamentares da gestão passada discutiam como fariam para receber mais “mensalinhos” do Executivo, e usado a gravação para se manter no mandato, uma vez que era suplente na época.

 

A revelação foi feita pelo ex-governador Silval Barbosa (PMDB), em sua delação à Procuradoria Geral da República, homologada no dia 9 pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Na delação, Silval afirmou que desde a gestão do ex-governador e atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), os deputados estaduais recebem propina mensal para apoiar os projetos do Governo.

De acordo com o ex-governador, em 2012 ou 2013, os deputados fizeram uma reunião entre eles dentro da Assembleia para “discutir como eles iriam conseguir mais vantagens indevidas do Governo”.

 

“Tal reunião foi gravada pelo deputado Adalto de Freitas, vulgo Daltinho, que passou a chantagear os deputados estaduais da época, usando tal gravação para manter-se no mandato, pois ele era suplente na época”.

 

Silval contou que Daltinho entregou a filmagem para o deputado Romoaldo Júnior e usava isso para se manter no exercício do cargo de deputado.

 

“Essa gravação foi mencionada para mim pelos deputados Romoaldo Junior, Riva e Mauro Savi”.